Quem sou?

Uma tarefa um tanto quanto embaraçosa descrever quem eu sou!? Embaraçosa no sentido de que, quando paramos para refletir o quanto a mente do ser humano é complexa, o quanto na vida vamos nos desenvolvendo, aprendendo, nos transformando, mudando de ideia... Como posso falar quem sou, se amanhã posso já ser outra? ou ainda nesse mesmo instante, pensar de uma maneira, mas querer fazer de outra? Nada é instável no mundo, tudo está em constante transformação... Estou agora pressa em ideias que não consigo expressar... Essa são umas das dificuldades que sempre tive, mas, por um breve espaço de tempo, posso não ter mais!?! São tantas coisas que passam pela mente, mudanças, fatos da vida... Contudo, entre incertezas e incertezas, apresentarei um pouco do que sou eu hoje, nesse momento! ("niji" em japonês)

"Quando me pergunto quem sou eu, sou o que pergunta, 
ou o que não sabe a resposta?" 
Geraldo Eustáquio


Mariana Sancar!(nome artístico). Tenho 20 anos. Moro com meus pais, tenho só 5 irmãos, e são minhas imensas alegrias... Crescer e aprender com minha família...meu maior tesouro! Como aluna, talvez não a primeira, mas nunca fui mal na escola. Amo ler, ler, ler, bom, também fui desenvolvendo essa apreciação...(através também de uma das minhas profissões: Agente de Leitura). Além da minha paixão pela leitura, amo cantar, dançar, e ser personagens diferentes, quando posso... Tenho muitos sonhos, e são tantos que fico até com preguiça de escrever... Alguns deles: Gravar meu CD, poder ser reconhecida como atriz de musical, que de alguma forma passa esperança para as pessoas, através de um olhar, um sorriso, uma história e  principalmente com minhas composições... Viajar pelo mundo, e conhecer aquilo que nós só ouvimos falar... Ir para o Japão e poder agradecer pessoalmente meu Mestre Daisaku Ikeda, por todos incentivos diários, que dá em minha vida, através de sua experiência... Aprender a tocar violino, dar um significativo presente para meus  pais, ter como empreendimento uma escola de ensino fundamental, junto de minha mãe, e também uma companhia de teatro , junto de meu irmão... E claro, nada disso teria sentido, sem alguém para compartilhar... Tenho o sonho de casar, ser mãe, e muitíssimo, de adotar pelo menos uma criança, daquelas mais velhas, que por vezes esquecemos que também desejam ter uma família, e já estão nesse mundo...


                       É curioso como não sei dizer quem sou! 
Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. 
Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar, 
não só exprimo o que sinto, 
como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo. 

Clarice Lispector